terça-feira, 11 de maio de 2010

Não se pode ter tudo

Oi pessoas, tudo bem?
Faz um tempão que não escrevo e penso que estou um pouco destreinada, muitas vezes algum acontecimento do dia dia, me incita e escrever, mas quase sempre estou sem uma caneta ou um computador por perto, aí passa o momento e ficará registrado somente em minha mente e talvez no coração(muitas vezes a coisa parece uma assombração e queremos é ela vá pra bem longe) como diz minha filha: Vá pra Luz! Ontem dia das mães, tive uma acontecimento não muito feliz, fiquei um pouquinho triste, chorei um pouquinho, fiquei um pouquinho com pena de mim( mas só um pouquinho), porque sei que não posso ter o que muita gente não tem para oferecer, talvez mesmo eu não saiba amar como muitas pessoas gostariam, e sei também que isso não significa que não amemos com tudo que temos para amar. Então bola pra frente!
Por outro lado, fique muito feliz com meus três filhotes, almoçamos na casa de meu querido filho, foi muito bom, e a tarde fui presenteada com um ingresso para a super produção do Teatro Abril (cats) muito gostoso sair com minhas filhotas, e contar com a doçura de meu marido.

Um comentário:

Izabel disse...

Minha irmã amada, porque dar valor maior ao que te feriu! se teve tantas coisas boas nos dias das mães.Eu tinha ficado muito feliz, por voce perceber que cada um dá o que tem. Então! porque querer das pessoas o que elas não podem nos oferecer. Eu já aprendi a me amar(acho) hehehe e procuro não aceitar presentes que me machuquem. Lembre se que por traz de uma aparente falta de carinho, talvez fizemos pior e agora estamos reunidas para nosso resgate. Pense nisso! e seja feliz. Beijos