segunda-feira, 6 de julho de 2009

Amores e dores

As vezes sinto vontade de escrever o que me passa na alma, mas sei que aqui é público e nem sempre as pessoas merecem que despejemos em cima delas nossas angustias nossos medos, nossas tristezas, nossas culpas ou até mesmo nossa covardia.
Quanta culpa muitas vezes sentimos por não defender uma pessoa que não está por perto por alguma coisa que ouvimos e que com certeza machucaria muito a outra.
Hoje estou particularmente triste e sinto muito medo e também muito frio, é como se eu estivesse em dívida com alguém que amo muito, é como se não fosse suficientemente corajosa e ao mesmo tempo muito culpada por algo que não fiz e também por algo que fiz.
A escrita sairá um pouco confusa pois bastante confuso também está meu coração, olho minha filha que se aconchegou em minha cama e adormeceu com dor de cabeça e bastante tensa por conta de seu dia conturbado e penso... que vontade de que as coisas fossem um pouco melhores.
Minha outra menina que acabou de se casar e está em fase de adaptação, sei que ela sofre e seu marido também sofre pois é exatamente assim que funciona. Sei porque tenho 32 anos de casamento e, que bom seria se ela pudesse pular essa fase, mas se assim fosse como aprenderia?
E meu filho? Ah esse está melhor!! tem passado por dias muitos difíceis, mas a gente percebe nitidamente como ele está crescendo, está mais calmo e em paz e isso me dá uma baita alegria.
Que bom! percebí que ao escrever fui melhorando aos poucos e estou mais tranquila.
Beijos e me desculpem o desabafo.

5 comentários:

Anônimo disse...

DISSE JESUS:
"Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve". Mateus 11:28-30

Izabel disse...

No, sempre que falamos consciente sem a emoção alterada, por qualquer tipo de sentimentos deletérios, está de bom tamanho. O dito é aquilo, na medida certa, nem pra + nem pra - e não deve se culpar por nada. O que devemos saber, é que cada ser tem suas limitações, alguns mais ignorantes de espírito, outras um pouco mais a frente. Cada um faz aquilo que tem dentro do seu coração. Não adiantando a nossa suplica,para fazer o que achamos certo, honesto, justo, pois a mesma não compreende. Acalme seu coração, suplique a Jesus serenidade, pois as pessoas bem próximas de nós são instrumentos para nossa evolução. Ex:quem assiste um mesmo canal de televisão, saberão conversar a respeito do mesmo porque estão na amesma sintonia. E outro assistindo outro canal, fica de fora sem entender porque está em sintonia diferente.Na vida também é assim. Porque somos a cópia aqui na terra, pois a original estas no céu (universo) com Deus.

Anônimo disse...

VERSÍCULO:
"Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é
misericordioso."
-- Lucas 6:36

PENSAMENTO:
Tem algum momento da sua vida em que você falou alguma coisa, ou
agiu de certa forma, ou deixou de fazer algo que, pelo resto da sua
vida você queria mudar? É impressionante como poucas palavras ou
pequenas ações podem nos atormentar por anos. Você já sonhou em ter
uma segunda chance? Para alguns de nós aquele momento pode nunca
mais retornar. Mas, pode ser que nós podemos dar essa chance a
outra pessoa. Tem alguém que precisa do seu perdão? Tem alguma
pessoa que precisa saber que você não guarda mais mágoa ou
ressentimento? Você pensa que ela não liga? Ou, pode ser que ela
perdeu a esperança de receber perdão. E se aquele perdão for seu?
Um dia você precisou da misericórdia de Deus. E muito. Quantos
pecados seus Deus perdoou? Foram só os pequenos? Ele contou até um
certo número e daí disse "basta"? Não, a misericórdia do Pai foi
enorme para com você. A sua misericórdia não deve ser igual?

ORAÇÃO:
Pai bendito, não mereço a misericórdia que o Senhor me concede.
E não mereço o perdão que recebo todos os dias pelos meus pecados.
Mas, agradeço e quero ser como o Senhor, misericordioso. Ajude-me a
lembrar as minhas iniqüidades na hora de lidar com os pecados dos
outros. Em nome de Jesus eu oro. Amém.

Anônimo disse...

"Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo a couraça da fé e o capacete da esperança da salvação." 1 Tessalonicenses 5:8

Não coloque sua esperança em coisas que mudam - relacionamentos, dinheiro, talento, beleza, ou mesmo saúde. Mire na coisa que nunca pode mudar: confie no seu Pai celestial.

Anônimo disse...

Tia, não fique triste com a minha "falta de esperança". Acho que a fé e a razão são dois instrumentos que devem andar juntos para o auto-conhecimento. Parabéns pelo blog e pelo apoio da família. A mudança só pode ocorrer quanto todos - e não apenas 1 - estão dispostos. Vc é um exemplo!. Acho que o blog também poderia ajudar as mães na medida em que vc publique, também, informações de como superar o problema. abraço, Fê.

NEUROSE - extraído de http://www.portugal-linha.net/arteviver/new_page_6.htm

(...) Ludwig Knoll que consegue resumir teorias Freudianas, Junguianas, Teillaristas, etc., “as neuroses resultam de conflitos que não puderam ser resolvidos entre desejos pulsionais e obstáculos ou inibições que se opuseram à sua realização”. As neuroses baseiam-se essencialmente num conflito íntimo, num conflito intra-psíquico.
... O adulto neurótico, sem o saber, comporta-se com os que lhe estão mais perto, especialmente os familiares, como se comportava muitas vezes na infância. A pior situação neurótica de um lar está contida na “família ansiosa”. A ansiedade dos pais pode manifestar-se pelo comportamento super-protector, um dos principais factores para a criação de estados neuróticos. As crianças assimilam essa ansiedade que se avoluma. O excessivo cuidado dos pais cria insegurança nos filhos, provocando muitas vezes revolta e até agressividade. A ansiedade dos pais pode chocar-se com a rebelião da criança que considera a super-protecção como uma restrição à sua personalidade. (...) Nunca esquecer, a criança é um verdadeiro radar! Capta tudo o que se passa entre os pais e dos que lhe estão mais próximos. Normalmente é a mãe, quem mais está com a criança. A influência de uma mãe neurótica sobre um filho é notável, dadas as características afectivas-emocionais de que se reveste a relação, resultando frequentemente conflitos intra-psíquicos gravíssimos, problemas graves de se resolver. Frequentemente é necessário tratar primeiro os pais, pois pais nervosos, inseguros, que vêem perigo em tudo geram filhos fóbicos, tristes, e são causadores da grande doença que é a perda de mecanismos de defesa, ou seja a “perda de defesa vital”.