segunda-feira, 24 de agosto de 2009

NEUROSE 2

Oi pessoas, vamos continuar com nossa postagem.

Depois do falecimento de meu pai, viemos todos para São Paulo, como sempre minha irmã e eu à frente de quase tudo na casa, fomos trabalhar, coisa difícil, mas nossa percistencia era grande, nesse tempo minha irmã passou por um dos momento mais difíceis de sua vida e eu estive com ela, até onde me foi permitido, porém minha preocupação era muito grande, isso para não perder o costume de querer ser omnipotente, achando que minha imensa preocupação faria diferença (realmente fazia, porém para pior) tudo que é demasiado não é bom e eu sofria intensamente com tudo isso.
Meu irmão mais jovem decidiu viajar por alguns Países tipo mochilão, sofreu muito, minha mãe sofreu muito e eu para variar sofri mais ainda.
Mudamos várias vezes, cada vez para uma casa menor e com menos conforto. Ficava vários dias em casa completamente só, pois as vezes minha mãe viajava, então eu tinha aqueles sonhos horríveis, tipo aquele que você pensa que está acordada, e pessoas chegando e você pensa "que bom , não estou mais só", mas era só sonho, sonhava com portas, batendo, com tempestades, acordava completamente apavorada. Morava na periferia e me sentia muito só, pois nesta altura minha irmã estava casada e feliz, Graças a Deus.

4 comentários:

Graziella disse...

Tia essa parte eu conheço pelo lado da mamae , mas nao pelo seu !! muito legal

Izabel disse...

Mimi, me lembre o meu momento mais difícil, que esqueci! hehe. MINHA flor, penso que o começo foi mais no começo ainda. Lembra? o teu desespero no dia fatídico (morte no nosso pai) só eu e voce nã casa?

Ana disse...

Credo mãe, tá na hora de você ficar numa relax, numa tranquila, numa boa.
Na praia, na rua na fazendo ou numa casinha de sapê.
De preferência na praia.
Seja feliz!.

A suja falando da mal lavada

Izabel disse...

Meu Deus que família fui me meter, ou melhor escolher para renascer. Uma mais doida que a outra. Noemi quando fui levando a Dani para o hospital, naquele episódio do Pneuma, tb, fiquei muito tensa, porque a danada podia ter tido uma parada cardíaca. Foi muitoi díficil, eu parecia um passarinho encolhido de tanto medo.