quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O Homem e a Mulher

Sobre o homem e a mulher Vitor Hugo escreveu há muito tempo atrás, concordo com algumas coisas e com outras não, mas a verdadeira história, está ali, ó! no dia a dia!
Minha nossa é impressionante a diferença entre estes dois espécimes ( e olha que vivem num grude só.)

Homem tira o controle remoto da mão da mulher e assiste o que quer, sem a menor cerimonia e sem um pingo de remorso. A mulher é capaz de deixar o último capitulo da novela pra deixar ele assistir ao futebol e não fizer se sente culpada.

Homem mima a mulher (alguns) todos os dias, dorme na casa dela e tal! mas quando ela precisa mesmo ele vai embora dizendo "Hoje não posso ficar que tenho muita coisa pra fazer amanhã"
A mulher está ali todas as vezes que ele precisar e muitas vezes deixa suas coisas para depois.

Homem diz, vai lá faz e diz que depois eu pago! Mulher morre de vergonha de pedir fiado.

Homem ODEIA pedir informações, á capaz de ficar horas rodando e não dá o braço a torcer, mulher já acha bem mais fácil e pratico parar num posto e rapidinho chegar ao seu destino

Homem não atende o telefone e nem se importa se alguém vai ficar preocupado com sua ausência. Mulher sai até do banho para atender ,assim não deixa as pessoas que amam angustiadas.

Homem chega em casa com duzentas horas de atraso e diz .Eu só fiz o caminho de casa, nem mais nem menos. Mulher não! liga sempre pra tranquilizar as pessoas.

Homem conta só o começo da fofoca, Ai! que raiva! A mulher conta a fofoca inteira (uma fofoquinha de vez em quando é saudavel não é?)

Segundo Vitor Hugo: Deus fez para o homem um trono
Para a mulher um altar
O Trono exalta
O Altar santifica
Cá pra nós, nem um nem outro, vamos tentar ficar em igualdade de condições que está bom tamanho.

4 comentários:

Anônimo disse...

COMPREENDENDO AS DIFERENÇAS
Homem e mulher são iguais, mas são diferentes. Que contradição é essa? São iguais na mesma vida vegetativa e faculdades sensoriais,
são iguais nos mesmos atributos intelectuais e no mesmo destino
natural e sobrenatural, nas mesmas causas comuns. E, no entanto,
são tão diversos, visto que cada sexo tem características próprias. Se o homem tem maior força física, e é preparado para grandes esforços
nesse campo, a mulher tem muito mais força intrínseca, como que
preparada para não gemer enquanto sofre, nem cansar. A mulher
tem graça, tem ternura, tem feitio delicado. E se o homem se doa ao
trabalho, e dele faz o seu centro de interesse; a mulher se doa
integralmente a quem ama (marido, filhos), e faz do lar o seu centro
de atenção. Se ele busca o exercício do poder, da chefia, da
conquista do mundo exterior, da imposição de ideais; ela atua mais
diretamente sobre aqueles a quem ama. É de uma presença impressionante no seu lar. Se ele tem espírito de decisão, de
iniciativa, uma visão segura e clara dos objetivos (por isso, é "chefe de família"), ela possui delicadeza, sensibilidade, dedicação, beleza física, e o dom da maternidade física e espiritual (por isso é chamada "mãe de família").
As diferenças não devem se tornar obstáculo ao amor. Pelo contrário,
ambos devem conhecê-las, identificá-las, aceitá-las e não considerálas como barreira, como pedra-no-meio-do-caminho do amor e do casamento. É verdade que desentendimentos até podem surgir por conta dessas diferenças. Acontece, e muito. Não esqueçamos, no entanto, que para o equilíbrio do lar é fundamental que homem e
mulher coexistam, e coabitem (mesmo que ela seja de outro
planeta!), mas vivam com suas características. Aliás, nem devemos
olhar para isso, nem devemos olhar para as divergências, senão para
o seu aspecto de complementação. Não foi assim que o Senhor
projetou?: "Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma
ajudadora que lhe seja idônea". (Gn 2.18). Uma ajudadora, uma
auxiliadora, uma complementação naquilo que o homem não sabe
nem pode fazer; ajudadora que esteja à sua altura, "que lhe seja
idônea", diz o texto. É por essa razão que temos dentro de nós forças poderosíssimas que agem sem que, sequer, percebamos. E uma
delas é a busca do caráter oposto. É a necessidade da antítese, e
esse é o milagre do amor: são dois necessitados que se completam.

Izabel disse...

Minha irmã é isso mesmo! vamos falar dos homens que amamos tanto né. beijos

Graziella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Graziella disse...

Tia muito legal :D e para responder o seu post no meu blog, Deus é grande !! :D te amoo